Pesquisar neste blog

17 de jun de 2013

BA/Itapetininga - Mudança na nota fiscal eletrônica gera reclamação



Os empresários do setor de serviços de Itapetininga reclamam da dificuldade da emissão nota fiscal eletrônica. A prefeitura trocou a empresa responsável pelo serviço, e os contadores ou donos de empresas precisam fazer um novo cadastro.





Uma contadora de Itapetininga disse que tentou conectar durante a tarde de terça-feira, dia 4, e a manhã de quarta-feira, dia 5, para a emissão de uma nota fiscal. Como o programa é novo, a contadora opina que deveria manter o antigo para não travar o sistema. “Está horrível”, reclama.

Segundo a contadora, que prefere não revelar o nome, a prefeitura deveria manter os dois sistemas até que fosse normalizada a emissão da nota fiscal com a nova empresa. “Contrataram uma nova empresa. É um novo site. Não é difícil, mas tem que preencher todos os campos”, explicou. 

O secretário de Administração, Luiz Paulo Ribeiro, informou que todos os campos precisam ser preenchidos por todos os sócios da empresa. Na quarta-feira,  Ribeiro afirmou que foram emitidas 700 notas fiscais. Ele disse que houve mudança devido à falta de relatório gerencial. Com a nova empresa, que terá custo estimado de R$ 12 mil mensais, será possível melhorar a fiscalização e se tornará, segundo o secretário, mais eficiente o acompanhamento do Imposto Sobre Serviço de Qualquer Natureza (ISSQN).

“Não tinha relatório gerencial (com a antiga empresa contratada)”, reclama o secretário. A J. Brasil deixou de realizar o serviço. No lugar entrou a Nota Control. “No começo tem problemas. Tem que atualizar todos os dados e cadastrar todos os sócios”, esclareceu Ribeiro ao Jornal Correio de Itapetininga. Ele disse que os problemas encontrados devem ser normalizados até o final da primeira semana de operação do novo sistema. “Haverá aumento de arrecadação”, completa.

Orestes Carossi Filho

Os empresários do setor de serviços de Itapetininga reclamam da dificuldade da emissão nota fiscal eletrônica. A prefeitura trocou a empresa responsável pelo serviço, e os contadores ou donos de empresas precisam fazer um novo cadastro. Uma contadora de Itapetininga disse que tentou conectar durante a tarde de terça-feira, dia 4, e a manhã de quarta-feira, dia 5, para a emissão de uma nota fiscal. Como o programa é novo, a contadora opina que deveria manter o antigo para não travar o sistema. “Está horrível”, reclama.

Segundo a contadora, que prefere não revelar o nome, a prefeitura deveria manter os dois sistemas até que fosse normalizada a emissão da nota fiscal com a nova empresa. “Contrataram uma nova empresa. É um novo site. Não é difícil, mas tem que preencher todos os campos”, explicou. 

O secretário de Administração, Luiz Paulo Ribeiro, informou que todos os campos precisam ser preenchidos por todos os sócios da empresa. Na quarta-feira,  Ribeiro afirmou que foram emitidas 700 notas fiscais. Ele disse que houve mudança devido à falta de relatório gerencial. Com a nova empresa, que terá custo estimado de R$ 12 mil mensais, será possível melhorar a fiscalização e se tornará, segundo o secretário, mais eficiente o acompanhamento do Imposto Sobre Serviço de Qualquer Natureza (ISSQN).

“Não tinha relatório gerencial (com a antiga empresa contratada)”, reclama o secretário. A J. Brasil deixou de realizar o serviço. No lugar entrou a Nota Control. “No começo tem problemas. Tem que atualizar todos os dados e cadastrar todos os sócios”, esclareceu Ribeiro ao Jornal Correio de Itapetininga. Ele disse que os problemas encontrados devem ser normalizados até o final da primeira semana de operação do novo sistema. “Haverá aumento de arrecadação”, completa.




BLOG DO FATURISTA | www.faturista.blogspot.com.br
Recebas nossas atualizações no Facebook, clique aqui

Blog do Faturista - Editado por Carlos Alberto Gama

Nenhum comentário:

Postar um comentário